• Raquel Pereira

1 de junho: temporada de furacões se inicia no Atlântico Norte

Com a La Niña ativa e temperaturas acima da média no Atlântico tropical, centros meteorológicos se preparam para uma temporada mais movimentada que o normal.

furacão
Imagem de satélite visível do furacão Ida se aproximando da terra no Golfo do México, tirada pelo satélite GOES-16 em 29 de agosto de 2021. Fonte: NOAA.

De acordo com os meteorologistas do Centro de Previsão Climática da NOAA , a previsão é de uma temporada de furacões acima da média este ano, o que tornaria a sétima temporada consecutiva de furacões acima da média.



As perspectivas da NOAA para a temporada de furacões no Atlântico de 2022, que se estende de 1º de junho a 30 de novembro, prevê 65% de chance de uma temporada acima do normal, 25% de chance de uma temporada quase normal e 10% de chance de uma temporada abaixo do normal.


A Escala de Beaufort classifica a intensidade dos ventos, tendo em conta a sua velocidade e seus efeitos.

Para a temporada de furacões de 2022, a NOAA está prevendo um intervalo provável de 14 a 21 tempestades nomeadas (ventos de 60 km/h ou mais), das quais 6 a 10 podem se tornar furacões (ventos de 118 km/h ou mais), incluindo 3 a 6 grandes furacões (categoria 3, 4 ou 5; com ventos de 180 km/h ou mais). A NOAA fornece esses intervalos com 70% de confiança.


As temperaturas médias da superfície do mar no Atlântico norte do equador, no Mar do Caribe e no Golfo do México foram mais quentes que a média (1985-1993) em abril de 2022, que é um dos fatores que contribuem para a previsão da NOAA de uma temporada de furacões acima do normal no Atlântico.

O aumento da atividade previsto para esta temporada de furacões é atribuído a vários fatores climáticos, incluindo La Niña que provavelmente persistirá durante toda a temporada de furacões, temperaturas da superfície do mar mais quentes do que a média no Oceano Atlântico e no Mar do Caribe, ventos alísios tropicais mais fracos do Atlântico e uma monção reforçada da África Ocidental.


“A preparação antecipada e a compreensão do risco são fundamentais para sermos resilientes aos furacões e preparados para o clima”, disse a Secretária de Comércio Gina M. Raimondo.

Durante a temporada de furacões, os especialistas da NOAA trabalharão 24 horas por dia para fornecer previsões e alertas antecipados e precisos para as comunidades no caminho das tempestades se manterem informadas.


Um gráfico de resumo mostrando uma lista alfabética dos nomes dos ciclones tropicais do Atlântico de 2022. Fonte: NOAA.

Relembrando tempestades passadas, como a super tempestade Sandy, que devastou a área metropolitana de Nova York dez anos atrás, lembram que o impacto de uma tempestade pode ser sentido por anos, e por isso é tão importante um alerta antecipado e preciso, afim de prever melhor e prevenir os impactos de grandes furacões nas vidas e nos meios de subsistência.