• Tempo e Clima Brasil

10 Tipos de nuvens fantásticas

Observar as nuvens é um passatempo extremamente tranquilizante. Existem categorias de nuvens que por si só são paisagens únicas, e cada uma possui seu nome técnico.

Nuvens
As nuvens são formadas por partículas pequenas de água em estado gasoso, líquido e sólido.

Uma nuvem é um hidrometeoro que consiste em partículas minúsculas de água líquida ou gelo, ou de ambos, suspensas na atmosfera e geralmente não tocando o solo. Também pode incluir partículas maiores de água líquida ou gelo, bem como partículas sólidas ou líquidas não aquosas, como as presentes em vapores, fumaça ou poeira.

Veja também: "Fração global de nuvens"

Algumas formações de nuvem são tão misteriosas e fantásticas que nos deixam perplexos. Veja abaixo uma lista de 10 nuvens inacreditavelmente lindas.


1. Nuvens Lenticulares

Nuvens Lenticulares são formações estacionárias de nuvens, com formato análogo a fogo e lentes, que se formam em altitude e próximo de regiões montanhosas.

Normalmente alinhadas com a perpendicular da direção do vento, elas podem ser separadas em altos-cúmulos lenticulares estacionários (ACSL), estratocúmulos lenticulares estacionários (SCSL), e Cirrocumulus lenticulares estacionários (CCSL).

Nuvem lenticular
São nuvens que se formam em topos de montanha provenientes do resfriamento do ar quando ele se desloca morro acima.

2. Nuvens Mammatus

Mammatus (também referenciado por mamma ou mammatocumulus) é um termo da meteorologia aplicado ao padrão de "bolsas" que se formam na base de uma nuvem. O termo "mammatus" deriva do mamma, devido à associação ao formato de mamas ou seios.


Formam-se em ar descendente, em contraste com a maioria das nuvens que formam-se em ar ascendente. Frequentemente, nuvens mammatus formam-se sob a bigorna associada a uma nuvem cumulonimbus, e são observadas geralmente depois da passagem de uma tempestade severa.

Mammatus
Leva este nome devido ao seu formato que lembra “mamas”, geralmente aparecem após uma tempestade e causam turbulências terríveis em aviões.

3. Nuvem criada entro de uma sala

Imagine uma nuvem no meio da sua sala. Não estamos falando de amontoados de algodão pendurados por um fio de nylon, mas sim uma nuvem de verdade que poderia fazer parte da decoração mais incrível de todas.

O artista neozelandês Berndnaut Smilde é o responsável por essa possibilidade. E para conseguir desenvolver as “nuvens caseiras”, Smilde utilizou alguns equipamentos relativamente simples de serem encontrados: um termostato, um umidificador de ar e uma máquina de fumaça artificial. Depois foi só unir as saídas dos aparelhos e criar as impressionantes nuvens.

nuvem artificial
Uma nuvem artificial criada pelo artista holandês Berndnaut Smilde utilizando um umidificador potente, uma máquina de fumaça e um termostato, ele criou um ambiente propício para a formação de nuvens em um ambiente condicionado.

4. Altocumulus Encastelados

Estas nuvens são uma descrição específica para aviação. É em si uma subdivisão do gênero Cumulus. As notas técnicas da Organização Mundial de Meteorologia descrevem esta formação de nuvens como Cúmulos congestos de grande extensão vertical.

São formações verticais esparsas e de pequeno desenvolvimento levando a um formato que remete às águas vivas.

5. Fallstreak Hole (Nuvem Perfurada)

Os Fallstreak Holes são o resultado de temperaturas de ar frio e instabilidade atmosférica. Visto de baixo, pode parecer como se parte da nuvem estivesse caindo do céu. Acontece que isso é realmente o que está acontecendo.


Esses buracos são formados em nuvens dos níveis médios da troposfera quando a temperatura da água nas nuvens está abaixo de zero, mas a água, em estado super-resfriado, ainda não congelou devido à falta de nucleação do gelo. Quando os cristais de gelo se formam, um efeito dominó é desencadeado pelo processo Bergeron, fazendo com que as gotículas de água ao redor dos cristais evaporem: isso deixa um grande buraco, geralmente circular, na nuvem.

Fallstrak Hole
Nuvens cirrus por si só são nuvens congeladas, porém quando alguma região dela não congelou ainda formam-se estes grandes “buracos” na camada

6. Cumulonimbus

As nuvens mais perigosas da Terra, chamadas de Cumulonimbus, são as únicas capazes de produzir granizo, trovões e raios. Devido ao seu tamanho ameaçador, quando vista no céu, muitos já esperam por uma grande tempestade.


Estas nuvens podem se formar isoladamente, em conjunto ou associadas à frentes-frias. Um cumulonimbus, ao atingir o seu desenvolvimento máximo, pode forma uma supercélula que será responsável por eventos ainda mais extremos, como fortes chuvas de granizo, muitos raios e até mesmo condição para tornados.

cumulonimbus
Conhecida por ser a nuvem mais perigosa para aviões, possui um desenvolvimento vertical enorme chegando em partes onde ela se congela e gera o granizo. É uma nuvem que causa fortes tempestades e correntes de vento.

7. Nuvem Nacreous

Nuvens que se assemelham a Cirrus ou Altocumulus lenticularis e exibem uma irisação muito marcada, semelhante à da madrepérola; as cores mais brilhantes são observadas quando o Sol está vários graus abaixo do horizonte.

Nacreous
Se formam em regiões polares de temperaturas baixíssimas e ionizam a energia solar causando esse efeito colorido maravilhoso.

8. Cirrostratus

Cirrostratus ou cirro-estratos são nuvens altas (entre 6000 e 10000 metros) com a aparência de um véu muito fino, esbranquiçado e transparente, de algumas centenas de metros de espessura, que pode chegar a cobrir o céu todo. Desenvolvem-se a partir dos cirrus e também são formados por cristais de gelo.


Formam-se em massas de ar estável, quando a umidade é baixa e a temperatura é relativamente elevada. Quando são seguidos de nuvens médias, anunciam muitas vezes, com 1 ou 2 dias de antecedência, uma tempestade que se aproxima. Por vezes são quase imperceptíveis e revelam-se apenas por um halo (fotometeoro) em volta da Lua ou do Sol, resultante da refracção da luz nos cristais de gelo.

Cirrus
Uma nuvem de desenvolvimento horizontal e congelada, com o brilho do sol cria este efeito de círculo luminoso ao redor dele.

9. Cirrus Spissatus

A Cirrus spissatus, são as Nuvens Cirrus que ficam no mais alto de nossa Atmosfera, mas às vezes, nota-se a sua presença na parte baixa da Estratosfera. As características desse tipo de cirrus, são suas linhas finas ou fios de cristais de gelo, geralmente de cores brancas, mas podem ser vistas de cores acinzentadas, quando as vemos contra a Luz solar.


Na presença das cirrus spissatus não há ocorrências de precipitações pluviométricas até o chão. É comum ocorrerem fenômenos ópticos com estas nuvens. Embora as cirrus spissatus apareçam em várias circunstâncias, é particularmente mais comum aparecerem nas bigornas das nuvens Cumulonimbus.

céu de cirrus
São nuvens altas congeladas que sofrem o efeito das correntes de jato que são ventos de cerca de 100 km/h e que causam este efeito de “arranhões” finos e compridos.

10. Morning Glory Cloud

Morning Glory Cloud é um fenômeno meteorológico raro. Uma nuvem Morning Glory (Glória da Manhã) é uma nuvem em forma de rolo que pode atingir até 1.000 km de comprimento e de 1 a 2 km de largura e que pode se deslocar a velocidade de até 60 km/h. Forma-se a uma altitude de 100 a 200 metros do solo. Os meteorologistas ainda não conseguem explicar totalmente sua origem.

A teoria mais aceita atualmente é de que o fenômeno acontece quando há o choque de ventos em direções contrárias, com temperaturas, umidade e altitudes específicas, soprando de forma contínua.

Podem durar várias horas e desfazem-se com o aumento da temperatura à medida que o Sol se eleva. Dependendo das condições ambientes, podem surgir várias nuvens paralelas entre si. Foram registradas formações de até oito nuvens.

Morning Glory Cloud
Esta nuvem é causada por um fenômeno meteorológico raro que faz com que as formações pareçam enormes rolos.