• Raquel Pereira

Após erupção na Indonésia, cinzas geram cenário de terror

Equipes de resgate na Indonésia procuram sobreviventes em vilas soterradas por cinzas quentes, depois que o Monte Semeru, na ilha de Java, entrou em erupção no sábado (4).


Veículos foram submersos e casas muito danificadas.

Catorze pessoas morreram e dezenas ficaram feridas, disseram as autoridades de emergência. Um voluntário no distrito próximo de Lumajang filmou policiais e militares trabalhando para desenterrar corpos com as próprias mãos. As casas foram enterradas até os telhados e os veículos totalmente submersos.


Pelo menos 11 aldeias em Lumajang, no leste de Java, foram cobertas por cinzas vulcânicas. Pelo menos 56 pessoas ficaram feridas, com muitas queimaduras depois de confundir o fluxo de lama quente com inundação.


“Havia 10 pessoas carregadas pelo fluxo de lama”, disse Salim, que mora na aldeia de Kampung Renteng. "Um deles quase foi salvo. Disseram-lhe para fugir, mas disse 'Não posso, quem vai alimentar minhas vacas?"

Alguns parentes das vítimas em Lumajang, em Java Oriental, dizem que ainda não conseguiram recolher seus entes queridos, pois alguns dos corpos ainda não foram identificados.



Um homem em busca de sobreviventes disse que 10 pessoas estavam desaparecidas em sua aldeia. Outro descreveu o que aconteceu.


"Os moradores locais pensaram que eram apenas enchentes normais. Não sabíamos que era lama quente. De repente, o céu escureceu com a chuva e a fumaça quente. Felizmente, estava chovendo para que pudéssemos respirar".

Cerca de 1.300 pessoas foram evacuadas da área até agora, disse a agência, e 10 trabalhadores de minas de areia que estavam presos em prédios foram salvos. Os abrigos de resgate foram equipados com alimentos, máscaras faciais, lonas e sacos para corpos.



A evacuação foi dificultada por uma fumaça sufocante, um apagão de energia e tempestades durante a erupção que transformou os destroços em lama. Uma ponte importante da área para a cidade vizinha de Malang também foi cortada durante a erupção.


O chefe da agência geológica da Indonésia disse que a forte chuva caindo na borda da cratera do Monte Semeru causou o colapso parcial, desencadeando a erupção. Não houve aumento na sismicidade para sugerir qualquer mudança no fluxo de magma, disse ele.



O Monte Semeru está em um estado quase permanente de erupção e regularmente expele cinzas até cerca de 4.300 m, então a erupção de sábado foi um "aumento bastante significativo de intensidade", disse Campbell Biggs, meteorologista do VAAC (Volcanic Ash Advisory Centre), à BBC.


O Monte Semeru se eleva a 3.676 metros acima do nível do mar e está entre os quase 130 vulcões ativos da Indonésia. A última erupção foi em dezembro de 2020, forçando milhares de residentes a se abrigarem. A Indonésia fica no "Círculo de Fogo" do Pacífico, onde as placas continentais se encontram, causando frequentes atividades vulcânicas e sísmicas.