• Raquel Pereira

Aquecimento pré-frontal deve manter o calor no Sudeste antes do ar frio chegar

A partir da noite desta quarta-feira (26), uma frente fria avança sobre o Sul do Brasil, trazendo chuva e queda de temperatura para a região, enquanto no Sudeste as temperaturas devem se manter elevadas até a chegada da massa de ar frio.


frente fria
Previsão do modelo ECMWF para anomalia de temperatura em 850 hPa. Válido para 28/01 às 1800 UTC. Cores azuis representam temperaturas abaixo da média climatológica, enquanto cores alaranjadas denotam temperaturas acima da média.

Com a frente fria localizada no sul do país, a região Sudeste sofre com o aquecimento pré-frontal. Termo utilizado para referenciar as condições meteorológicas que antecedem a passagem de uma frente fria sobre uma determinada região.


A situação pré-frontal é caracterizada pelo abaixamento da pressão atmosférica e aumento da temperatura do ar. Se caso houver umidade suficiente nessas áreas, poderá ocorrer a formação de nuvens e possibilidade de chuva.



Os mapas abaixam mostram as temperaturas previstas de quinta-feira (27) até sábado (29) para a região Sudeste. Na quinta-feira nota-se temperaturas maiores em São Paulo, pois o estado está inserido na região pré-frontal, com valores acima de 33°C. Já a partir de sexta-feira (28), SP deve ter diminuição gradual das temperaturas em comparação aos outros estados da região.


Previsão do modelo GFS para a máxima temperatura à 2 metros na tarde de quinta, sexta e sábado.

Com o calor, a atmosfera fica instável, sendo assim um fator primordial para a formação de nuvens de tempestade. Chuvas e ventanias podem ocorrer em ambientes com temperaturas elevadas justamente pela instabilidade termodinâmica. O ar quente ascende e combinada com a umidade disponível na atmosfera, gera convecção e a formação de nuvens de chuva.


As precipitações não regulares podem ocorrer sobre o sudeste entre quinta (27) e sexta-feira (28) devido a presença de um cavado nos médios níveis e a divergência de massa na alta troposfera.


A divergência em altitudes em uma região úmida, é um dos principais mecanismos para a ocorrência de chuva. A divergência em altitude favorece a convergência em baixos níveis e consequentemente gera mecanismos de levantamento, para a formação de nuvens.



Mapa que apresenta magnitude e direção do vento (m/s) em 250 hPa e altura geopotencial (dam), válido para o dia 27 de janeiro ás 0000 UTC.

Durante o final de semana, a frente fria avançará e poderá favorecer a formação de um canal de umidade na região Sudeste, colaborando para possibilidade de precipitações. Já no domingo (30), o sistema continua avançando e aumentando a condição de chuva intensa nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro.


Mapa que apresenta a precipitação acumulada (mm) desde a quarta-feira até o sábado às 19 horas, do modelo GFS. Fonte: Meteorologix.

No mapa acima é apresentada a precipitação acumulada desde a quarta-feira (26) ás 9 horas até o sábado (29) às 19 horas para a região Sudeste. Nota-se maiores valores de precipitação para o estado de São Paulo, com valores acima de 80 mm e para o Sul de Minas Gerais, com valores chegando a 60 mm. Enquanto que o estado do Espírito Santo apresenta os menores valores de precipitação para os dias analisados.