• Raquel Pereira

Ciclone se formou no litoral do Sudeste

Nesta terça-feira (2), um sistema de baixa pressão se desenvolveu no litoral do Sudeste e têm caracteristicas mistas entre um ciclone subtropical e um ciclone extratropical.


Imagem de satélite do canal 13 do dia 2 de novembro às 12:30 UTC.

A área de baixa pressão estará atuando a partir desta terça-feira (02) com formação de um ciclone que pode surgir como subtropical, mas suas características ainda não estão completamente definidas. Existe divergência entre os modelos e uma fase extratropical não está descartada.




A imagem abaixo apresenta o diagrama de fases do modelo americano GFS. O diagrama não mostra uma fase subtropical muito clara, indicando um núcleo mais frio, que é característica da fase extratropical. Porém em modelos como do centro Japonês a fase extratropical é mais visível. Ao longo da semana, a Marinha do Brasil irá declarar a classificação oficial do ciclone.


Diagrama de fases do modelo GFS do dia 02 de novembro, rodada das 06Z.


Este sistema de baixa pressão que se desenvolve sobre o litoral do Sudeste, pode provocar fortes pancadas de chuva, raios, rajadas de vento, que podem acarretar alagamentos, inundações e deslizamentos de terra. Por exemplo, o vídeo abaixo ocorreu na Santa Maria de Jetibá,região serrana do ES.



Ciclones são sistemas que possuem pressão atmosférica menor no centro do que na periferia e apresentam movimento circulatório, sendo no sentido horário no hemisfério sul (HS) e anti-horário no hemisfério norte (HN) e existem diferentes tipos: Ciclones Tropicais; Ciclones Subtropicais; Ciclones Extratropicais. Então, primeiramente é necessário entender a diferença de cada um.

Ciclones Extratropicais


Os ciclones extratropicais são sistemas de baixa pressão atmosférica que geram nebulosidade, precipitação, ventos fortes e mudanças na temperatura do ar e apresentam núcleo frio. São formados em latitudes média e possuem um tempo de vida média de 3 dias. Os ciclones extratropicais se formam na presença de gradientes horizontais de temperatura em superfície (por exemplo, frentes) (Bjerknes e Solberg, 1922).


Ciclones Tropicais


Os ciclones tropicais são sistemas de baixa pressão com núcleo quente que se desenvolve sobre águas tropicais ou subtropicais. Sua nomenclatura depende da localização no globo e da intensidade (> 119 km/h), podendo ser: Furacão (oceano Atlântico e Pacífico Leste); Tufão (Pacífico Oeste) e Ciclone (oceano Índico).


Nomenclatura dos ciclones tropicais dependendo de sua localização no globo. Fonte: Tudogeo

A classificação dos Ciclones Tropicais também pode variar de acordo com a intensidade:


  • Depressão tropical: até 61 km/h;

  • Tempestade tropical: 62-118 km/h;

  • Furacão/Tufão/Ciclone Tropical: >119 km/h.


Ciclones Subtropicais


Os ciclones subtropicais apresentam tanto características de ciclone extratropical quanto de tropical em seu desenvolvimento. Eles possuem núcleo quente em superfície (como os ciclones tropicais) e frio em altos níveis como um (ciclone extratropical). Os ciclones subtropicais podem iniciar com características subtropicais ou adquirirem tais características no processo de transição. São sistemas de baixa pressão e não estão associados a frentes em superfície, porém podem ser favorecidos por um cavado ou um VCAN em altos níveis.