• Raquel Pereira

Cidades da Bahia declararam estado de emergência devido as chuvas

As fortes chuvas que atingem principalmente as regiões sul e extremo sul da Bahia desde a noite de terça-feira (7), causa alagamentos, prejuízos para os moradores e deixaram ao menos três mortos na cidade de Itamaraju.


Chuvas de até 450 mm no sul da Bahia deixa cidades em situação de emergência.

Na cidade de Itamaraju, três pessoas morreram após desabamento causado pela chuva na madrugada de quarta (8). A região de Itamaraju, que está localizada no extremo sul da Bahia, foi uma das mais atingidas pela chuva. O temporal ainda deixou ao menos 4 mil pessoas desalojadas e mais de 500 famílias desabrigadas.


Já são 25 municípios em situação de emergência, de acordo com os decretos homologados e publicados no Diário Oficial. Entre as cidades em emergência, estão Jucuruçu e Itamaraju, no sul do estado, que, segundo Costa, são as mais afetadas.

Comida, água, medicamentos e outros itens estão sendo levados de forma prioritária para os moradores de 13 cidades. De acordo com o Corpo de Bombeiros, os municípios afetados no extremo sul são: Eunápolis, Guaratinga, Itabela, Itamaraju, Itanhém, Jucuruçú, Medeiros Neto, Mucuri, Prado, Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália, Teixeira de Freitas e Vereda.



No sul são: Mascote, Itacaré, Itabuna, Ilhéus, Canavieiras, Camacan e Belmonte. Em outras regiões, tem também Apuarema, Conceição do Almeida, Caetanos, Encruzilhada, Ibicuí, Ipiaú, Itambé, Itaquara, Jequié e Macarani.




Em Jucuruçu, no sul da Bahia, há alguns pontos isolados sem fornecimento de energia elétrica por causa de comunidades que permanecem ilhadas. Neste sábado (11), foi necessário o resgate, por helicóptero, de duas equipes do órgão que trabalham para o restabelecimento do serviço.



Porém devido ao mau tempo, os helicópteros de auxílio estão tendo dificuldades para acessar os locais afetados. O trabalho também está sendo prejudicado por estradas alagadas e pela queda de pontes.


Em Eunápolis, o sistema de abastecimento de água potável entrou “em colapso”, porque a eletrificação das bombas de distribuição foi danificada.

Na madrugada de sábado (11), uma casa foi soterrada após deslizamento de terra causado pelo acúmulo de água na zona rural de Amargosa. Os corpos da família que estava no imóvel estão desaparecidos. Também após as fortes chuvas, duas barragens romperam e derrubaram casas na tarde de sexta (10), na cidade de Apuarema. Segundo o prefeito Rogério Costa (PP), 242 pessoas estão desabrigadas na cidade.



As tempestades foram ocasionadas por um ciclone que se formou sobre o oceano Atlântico Sul e passou de uma fase extratropical para uma fase subtropical. Além do ciclone, também houve a formação da chamada Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que é um corredor de umidade que vem da Amazônia e está ativo desde o dia 6 de dezembro.