• Paulo Vitor

Evolução geológica da terra: O Pré-cambriano

Será que você conhece a história do nosso planeta? O Éon do Pré-cambriano constitui 88% da história evolutiva da terra. Quais os acontecimentos mais marcantes desse longínquo período geológico?


TERRA HADEANO
Aspecto da terra durante o Hadeano

As estimativas recentes indicam que o nosso planeta se formou a aproximadamente 4,6 bilhões de anos. Para nós seres humanos, esse tempo é um tempo gigantesco. Mas, esses 4,6 bilhões de anos de evolução de nosso planeta não foram homogêneos, tão pouco com grande quietude. E grande parte dessa história ocorreu durante o Éon chamado Pré-cambriano. Um Éon quer dizer um longo período em geologia. O Pré-cambriano é divido em 3, sendo eles respectivamente: Hadeano, Arqueano e Proterozóico. Qual a importância desse período para a Terra?



Hadeano


O Hadeano foi o período inicial da formação da terra, não haviam rochas consolidadas e tão pouco qualquer registro fóssil desse período. A litosfera terrestre ainda não existia, tão pouco os continentes. A terra era uma imensa bola de magma. 70 milhões de anos depois, um planeta chamado Téia colidiu com a Terra e parte deste planeta foi absorvido pela terra e outra parte orbitou nosso planeta e deu gênese a nossa Lua.


Imagem ilustrativa de como teria ocorrido a colisão do planeta Téia com a Terra, cerca de 70 milhões de anos após a formação da terra, a 4 bilhões e 530 milhões de anos atrás.

Na medida em que o magma foi resfriando após milhões de anos, foram surgindo as primeiras rochas, uma litosfera e uma atmosfera primitiva, extremamente tóxica para as atuais formas de vida e impossível para nossa sobrevivência, pois essa atmosfera não possuía oxigênio.


Além disso, durante esse período a Terra foi bombardeada por meteoritos. As temperaturas desse período eram extremamente elevadas. O nome Hadeano é uma homenagem ao deus grego de Hades, o Deus do Submundo.


Contudo, alguns especialistas não incluem o Hadeano como um período em específico, referindo apenas esses eventos como parte do Pré-cambriano.

É desde período que são datados as rochas e minerais mais antigos do planeta: As rochas na baía de Hudson datam de 4,3 bilhões de anos atrás, e os zircões na Austrália datam de 4,4 bilhões de anos atrás. Incrivelmente, esses materiais resistiram por tanto tempo ao intemperismo.


A esquerda as rochas na baía de Hudson, no Canadá, as mais antigas do mundo. A direita, os zircões encontrados na Austrália, os minerais mais antigos do mundo. Esses são os materiais mais antigos do planeta terra que se tem conhecimento.



Arqueano


O Arqueano surgiu após o fim do Hadeano, já passados 700 milhões de anos. Estamos a cerca de 3,9 bilhões de anos atrás. Esse período marca a consolidação de ilhas e a formação dos oceanos primitivos após o resfriamento do vapor d'água. A atmosfera já se assemelha a atual, contendo nitrogênio, elevadas quantidades de vapor d'água e até nuvens.


Representação da terra durante o Arqueano. A lua era bem mais próxima da Terra e o dia durava 12 horas.

Durante o Arqueano surgem as primeiras formas de vida, ainda que arcaicas (daí, Arqueano), sendo seres unicelulares. Esses seres realizaram fotossíntese por milhões de anos e foram os responsáveis por gerar o oxigênio do nosso planeta atual através da fotossíntese. O acumulo desses seres podem ser visualizados até hoje nos estromatólitos. O aumento da disponibilidade de oxigênio foi responsável pela primeira extinção em massa que ficou conhecida como a Catástrofe do Oxigênio, dizimando algumas bactérias. E é do Arqueano o registro fóssil mais antigo, datado de 3,5 bilhões de anos atrás. O Arqueano durou cerca de 1,3 bilhão de anos.


Os estromatólitos atuaram como colônias de bactérias e são os registros fósseis mais antigos de vida na terra.

Proterozóico


Durante o Proterozóico (2,6 bilhões de anos atrás) ocorre a consolidação de extensos blocos rochosos que formaram paleocontinentes, a Rodínia. Partes da antiga Rodínia é hoje blocos rochosos que compõe a então Amazônia. A vida se torna mais complexa e surgem os seres pluricelulares. Apesar disso, seres com ossos ou partes rígidas ainda não existiam, o que dificultava o registro fóssil. Também é desse período uma das mais antigas glaciações que se tem registro.


RODÍNIA
Ilustração do continente Rodínia e a representação de partes de alguns países em que as rochas da Rodínia compõe suas áreas atualmente.

Nossos oceanos, blocos rochosos sobre os quais estão assentados os continentes, o ar que respiramos e atmosfera que nos protege dos efeitos nocivos radiação solar são heranças desses bilhões de anos de história. O Proterozóico durou quase 2 bilhões de anos.