• Raquel Pereira

Meteoro é visto em Minas Gerais!

Um meteoro foi visto em Minas Gerais na noite da última sexta-feira (14), na região do triângulo mineiro. O fenômeno foi filmado por moradores ao se formar um clarão no céu.


Moradores filmaram o momento que o meteoro forma um clarão no céu.

Um meteoro foi visto no interior de Minas Gerais na última sexta-feira (14). Não ocorreu relatos de danos decorrentes da queda do objeto, mas moradores puderam sentir um impacto de colisão. O fenômeno foi visto em Uberlândia, Patos de Minas, Nova Ponte, Santa Juliana, Pedrinópolis, Monte Carmelo e Perdizes.


"Esse tipo de queda é comum, cai muito material na Terra, mas cai muito nos oceanos, em regiões que não são habitadas", esclarece Diana Andrade, professora do Observatório do Valongo, da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), e caçadora de meteoritos.

De acordo com moradores da região, o chão tremeu e um estrondo foi escutado. Câmeras de segurança das cidades gravaram o momento da queda do meteorito. O meteoro foi avistado por volta das 20h53.



Com a observação das primeiras imagens, o meteoro foi caracterizado com epicentro na região do triângulo mineiro e Alto Paranaíba.



O meteoro é o efeito luminoso. Isto é, são as populares estrelas cadentes, pequenos pedaços de rochas e poeira espacial que queimam ao entrar na atmosfera da Terra em alta velocidade. Porém, se a rocha sobreviver à entrada na atmosfera e não se desintegrar totalmente devido ao atrito e evaporar, ela é chamada de meteorito. Em outras palavras, se o objeto chegou ao solo, é um meteorito.


"Trata-se de um meteoro devido às características do fenômeno luminoso apresentada nos vídeos, mas não sabemos o local de queda ainda", diz Gilberto Dumont, diretor do Observatório de Astronomia de Patos de Minas.

A equipe do Observatório e da Bramon (Rede Brasileira de Observação de Meteoros), a partir das imagens, poderá calcular a região de queda para buscar os meteoritos em solo.



O professor Renato Las Casas, aposentado pelo Departamento de Física da UFMG explica que diariamente caem toneladas de pedras na Terra, porém como são, em sua maioria, menores que um grão de areia, não provocam luminescência ao cair.



Pedras que são maiores comprimem o ar que está na frente e formam o clarão que se observa nos vídeos gravados por moradores do interior de Minas Gerais. Formam esses pontos de luz que cruzam o céu, e, por isso, são chamados também de estrela cadente. O rastro luminoso é formado pelo atrito do meteoro com o ar da atmosfera terrestre.

A probabilidade desses objetos cair em casas e causar acidentes é muito pequena.

O nome do fenômeno depende do tamanho e do local onde a pedra está. Por exemplo, no espaço, ela pode ser denominada de asteroide se for muito grande ou meteoroide se tiver poucos metros de diâmetro. E relembrando, quando entra na atmosfera ela se transforma em meteoro, e se algum fragmento chegar ao solo é chamada de meteorito.