• Raquel Pereira

O primeiro passo da humanidade em direção a uma colônia lunar

A ciência e a ficção científica pode nos dizer muito sobre como uma futura cidade lunar pode ser.

Colônia lunar
Uma maquete das aspirações da ESA para a sua futura Moon Village.

A NASA está atualmente planejando uma série de 37 lançamentos de foguetes, tanto robóticos quanto tripulados, que culminarão com a implantação em 2028 dos primeiros componentes para uma base lunar de longo prazo.


Um posto avançado na Lua é certamente uma perspectiva empolgante tanto para os geeks da ciência quanto para os prospectivos do sistema solar, mas alguns acreditam que a linha do tempo da NASA é ambiciosa demais para ser realista.



No entanto, ao contrário da NASA, que há pouco tempo ajustou sua visão da missão a Marte para um retorno à Lua, a Agência Espacial Européia (ESA) já passou quase cinco anos planejando silenciosamente um assentamento lunar permanente. Enquanto a construção pode levar algumas décadas, se bem feita, pode servir ao mundo inteiro, incluindo turistas por muitas outras décadas.


Moon Vilage
Este corte mostra o interior de uma seção impressa em 3D da planejada Moon Village da ESA.

O projeto, apelidado de Moon Village, ganhou as manchetes em 2015, quando o recém-nomeado Diretor Geral da ESA, Johann-Dietrich Woerner, contou à BBC sobre sua visão.


"Uma Moon Village não deveria significar apenas algumas casas, uma igreja e uma prefeitura", disse ele na época. “Esta Moon Village deve significar parceiros de todo o mundo contribuindo para esta comunidade com missões robóticas e de astronautas e satélites de comunicação de apoio”.

Embora os comentários de Woerner tenham dado ao conceito Moon Village seu impulso inicial, grande parte da cooperação e planejamento para o posto avançado lunar foi liderada pela Moon Village Association (MVA), uma organização não governamental com cerca de 150 membros espalhados por quase três dúzia de países.



Trabalhando em estreita colaboração com a ESA, o objetivo do MVA é promover a colaboração entre nações e organizações espalhadas por todo o mundo, especialmente em países em desenvolvimento, para ajudar a concretizar visões de uma base lunar permanente.


A Moon Village não será apenas mais uma Estação Espacial Internacional na Lua. Em vez disso, Moon Village pretende ser um assentamento lunar permanente expansível e projetado colaborativamente que pode servir como: um centro de pesquisa inovador para a indústria e academia; um destino de outro mundo para viajantes comerciais; e um campo de provas para futuras bases tripuladas em Marte e além.



Atualmente, as partes interessadas planejam construir Moon Village perto do pólo sul lunar. Em particular, eles querem mirar em algum lugar próximo à borda da cratera Shackleton, que possui áreas que são quase perpetuamente banhadas pela luz do sol, ideal porque fornece uma ampla fonte de energia através da tecnologia testada e comprovada de painéis solares.


Além de grandes quantidades de luz solar disponível, a cerca de 4 quilômetros de profundidade, o chão da cratera Shackleton está constantemente envolto em sombras. Isso significa que é o lugar perfeito para esconder valiosos recursos voláteis sensíveis à luz solar, como água gelada.



A Europa, a NASA e até a China, estão atualmente trabalhando para o objetivo de estabelecer uma presença de longo prazo na Lua. Mas a realidade é que não importa quem receba o crédito pela construção do primeiro assentamento lunar confiável, provavelmente um dia se transformará em uma colaboração internacional massiva, diferente de tudo que os humanos já viram.