• Raquel Pereira

O que é a Oscilação Antártica e como ela impacta no clima do Hemisfério Sul?

A Oscilação Antártica (AAO) é uma importante teleconexão para a circulação extratropical do Hemisfério Sul (HS), e que consequentemente impacta o clima da América do Sul (AS).


Oscilação Antártica
A oscilação antártica é uma variabilidade atmosférica de baixa frequência do Hemisfério Sul.

A Oscilação Antártica (AAO) pode apresentar diversas denominações: Circulação do Hemisfério Sul, Modo de Alta Latitude, Circulação de Alta Latitude, Modo Anular Sul, Modo Anular do Hemisfério Sul e Oscilação Antártica. A AAO é um padrão de oscilação entre os cinturões de pressão das latitudes médias e altas no HS e é um importante modo de variabilidade climática do Hemisfério Sul.


---- Continua após a publicidade ----

----


Em 1928, foi documentada a existência de um padrão tipo oscilação no cinturão de pressão que cruza o Chile e a Argentina em oposição ao Mar de Weddell e ao Mar de Bellingshausen (Walker, 1928). Porém, somente décadas depois, devido a uma maior quantidade de dados, a oscilação entre os cinturões de pressão nas latitudes médias e altas foi apropriadamente descrita e referida como AAO (Gong; Wang, 1998).


A característica mais relevante no padrão AAO é a intensa relação negativa da PNMM (pressão ao nível médio do mar) entre 40º e 70º-60ºS.

Após identificar o fenômeno, foi estabelecido um índice para a AAO através da subtração da PNMM média zonal normalizada para cada mês entre as latitudes de 40ºS e 65ºS. O índice positivo desta oscilação é definido como pressão abaixo do normal na região polar e o negativo indica o inverso (Gong; Wang, 1999).



Dependendo da fase em que se encontra, o índice indica mudanças na posição da corrente de jato, sistemas frontais, ciclones e anticiclones. Por exemplo, Thompson e Wallace (2000) observaram que na fase positiva da AAO há um fortalecimento dos ventos de oeste e da baroclinia nas latitudes altas, já nas latitudes médias há um enfraquecimento.


Já Carvalho et al. (2005), mostraram que as fases distintas da AAO modulam a latitude de formação dos ciclones e seu deslocamento máximo em direção ao equador e que a convecção e a circulação dos trópicos para as latitudes médias têm um papel importante na variabilidade das fases da AAO.



Influência da Oscilação Antártica no Brasil


Para o Brasil, o índice positivo está associado com a redução da passagem dos transientes pelo sul do país, ou seja, uma menor frequência de frentes frias (Cardozo et al., 2015). A fase positiva também pode estar associada a anomalias negativas de precipitação sobre o sul do Brasil.


Enquanto o índice negativo é o oposto, os transientes atingem latitudes menores, e influenciando nas condições de tempo no Brasil. Durante a fase negativa, o transporte de umidade atmosférica para o sudeste da América do Sul é intensificado, o que contribui para o aumento de precipitação sobre a região.



Referências:


CARDOZO, A. B; REBOITA, M.S; GARCIA, S.R. Climatologia de frentes frias na américa do Sul e sua relação com o modo anular sul. Revista Brasileira de Climatologia, v.17, 2015.


CARVALHO, L. M. V.; JONES, C.; AMBRIZZI, T. Opposite phases of the antarctic oscillation and relationships with intraseasonal to interannual activity in the tropics during the austral summer. Journal of Climate, v. 18, n. 5, p. 702–718, 2005.


GONG, D.; WANG, S. Antarctic oscillation: concept and applications. Chinese Science Bulletin, v. 43, n. 9, p. 734–738, 1998.


GONG, D.; WANG, S. Definition of antarctic oscillation index. Geophysical Research Letters, v. 26, n. 4, p. 459–462, 1999.


THOMPSON, D. W. J.; WALLACE, J. M. Annular modes in the extratropical circulation. Part I: Month-to-month variability. Journal of Climate, v. 13, n. 5, p. 1000–1016, 2000.


VASCONCELLOS, F.C. A oscilação antártica-mecanismos físicos e a relação com características atmosféricas sobre a américa do sul/oceanos adjacentes. Tese de doutorado. INPE, 2012.


WALKER, G. T. World weather. Quarterly Journal of Royal Meteorological Society, v. 54, n. 226, p. 9–87, 1928.