• Gabriela Bittencourt

Os efeitos da chuva ácida na saúde humana

A chuva ácida se forma através das reações químicas que ocorrem entre gases presentes no ar, como o oxigênio (O2), gás carbônico (CO2) que em contato com gases poluentes liberados na atmosfera, acidificam a água da chuva tornando-a ácida.


Ação da chuva ácida.
Árvore com a ação da chuva ácida, e ao fundo indústria liberando gases poluentes.

A chuva ácida é qualquer forma de precipitação com níveis elevados de acidez na sua composição, com pH da água em torno de 4 a 2. Os gases poluentes que são emitidos na atmosfera e liberados pela fumaça de indústrias, queima de combustíveis fósseis, automóveis, etc., quando entram em contato com o vapor d'água presente no ar formam o ácido nítrico (HNO3) e o ácido sulfúrico (H2SO4), e esses dois ácidos são os mais importantes que compõe a chuva ácida.


Esquema chuva ácida.
Esquema ciclo de formação da chuva ácida.

A precipitação da chuva ácida ocorre de diversas formas como neve, neblina e pequenos pedaços de material seco que se depositam na superfície. Esse tipo de chuva pode causar diversos danos tanto aos seres vivos, animais, vegetais e humanos, quanto ao meio ambiente num geral.


Os ventos podem levar esses gases poluentes a regiões diferentes da fonte que os emitiu, fazendo com que a chuva ácida ocorra não só nos locais onde a emissão se iniciou, mas também em regiões afastadas.

A chuva ácida composta por esses gases poluentes altera o pH da água e do solo, tornando-os mais ácidos. Algumas espécies de árvores não toleram essa acidez da água esse acúmulo de acidez no solo após a precipitação rouba do solo os nutrientes necessários dificultando a absorção de água das árvores, inibindo a capacidade de reprodução das árvores. Um dos efeitos da chuva ácida, combinado com outros fatores ambientais, deixam árvores e plantas menos saudáveis, e mais vulneráveis a temperaturas frias, insetos e doenças.



Esse tipo de fenômeno ocorre principalmente em países industrializados ou em desenvolvimento como por exemplo, China, Estados Unidos e também Brasil, já que a principal causa desse tipo de fenômeno é pela atividade humana, na queima de combustíveis fósseis.


As origens da chuva ácida


Existem dois tipos de origem da chuva ácida, que são:


  1. NATURAL: a atividade vulcânica é um dos agentes naturais da formação da chuva ácida, devido a liberação de partículas com compostos de enxofre que são liberados na atmosfera. Além dos vulcões, os processos biológicos naturais que ocorrem no solo, nos oceanos e nos pântanos também podem ser agentes na formação da chuva ácida.

  2. ANTROPOGÊNICA: a ação do homem é um das formas mais importantes na degradação do meio ambiente. Assim, as atividades industriais, queima de combustíveis fósseis por transportes, fábricas e usinas termoelétricas que emitem grande quantidade de gases poluentes à atmosfera, podem desencadear a formação de chuva ácida.


Prejuízos da chuva ácida


Quando se fala em ácido a imagem que vem a cabeça são produtos químicos corrosivos capazes de dissolver metais e outros materiais. Um dos danos provocado pela chuva ácida é a destruição de obras civis e monumentos. Nos últimos anos, monumentos históricos sofreram grandes danos provocados pelos gases que compõem a chuva ácida.


Consequências da chuva ácida.
Corrosão de obras civis pela ação da chuva ácida.

Um exemplo muito conhecido é da Acrópole, em Atenas, na Grécia, onde os efeitos dessas agressões nos últimos quarenta anos são equivalentes àqueles observados em dois mil anteriores. Outros monumentos podem ser citados aqui como: Coliseu, em Roma; as Catedrais de Notre Dame, em Paris, e de Colônia, na Alemanha; o Taj Mahal, na Índia.


Chuva ácida e a saúde humana


Embora os impactos da chuva ácida em humanos não sejam diretos, os ácidos que os compões podem indiretamente causar danos sérios na qualidade do ar. Por exemplo, as partículas de dióxido de enxofre no ar podem estimular problemas pulmonares crônicos, como asma e bronquite.


De acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos EUA, “nadar em um lago ácido ou caminhar em uma poça ácida não é mais prejudicial para as pessoas do que nadar ou caminhar em água limpa”.

O óxido de nitrogênio é um dos formadores do ozônio troposférico, um poderoso gás de efeito estufa em superfície. Enquanto o ozônio acima da Terra, em torno de 15 a 35 km de altura ajuda a bloquear a radiação ultravioleta na conhecida Camada de Ozônio, ao nível da superfície esse gás gera problemas pulmonares graves, como pneumonia crônica e enfisema.



A ingestão de água potável acidificada, por períodos longos e contínuos, pode causar a doença de Parkinson e de Alzheimer, hipertensão, problemas renais e, principalmente em crianças, danos ao cérebro. Estima-se que nos EUA a chuva ácida é a terceira maior causa de doenças pulmonares.


Chuva ácida no Brasil


A cidade de Cubatão em São Paulo, foi reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um grave caso de dano ambiental, que ocorreu na cidade em 1977. Na região, os gases que eram emitidos pelas indústrias, como monóxido de carbono, dióxido de enxofre e benzeno, ultrapassavam mil toneladas por dia.


O caso teve grande repercussão e a Vila Parisi, bairro residencial próximo as indústrias de petróleo, fertilizantes e metais foi apontada pela ONU como a "cidade mais poluída" do mundo e ficou conhecida globalmente como "Vale da Morte".


Vale da Morte
Bairro residencial Vila Parisi, Cubatão/SP. Crédiro: Arquivo Cleinton Jordão.

A Mata Atlântica sofreu grandes danos na sua vegetação em decorrência desse evento na região da Serra do Mar. Vários programas de reflorestamento foram criados com a intenção de recuperar a vegetação e a qualidade do ar na região.



Os moradores da cidade também sofreram graves danos. Os índices de doenças respiratórias, pulmonares e o nascimento de crianças com anencefalia (falta do cérebro) e com má formação do sistema nervoso aumentaram drasticamente durante esse período, cerca de 37 crianças nasceram mortas em decorrência da péssima qualidade do ar que a região estava.

Serra do Mar
Serra do Mar com ação da chuva ácida. Crédito: CETESB Cubatão

Após 10 anos depois do ocorrido, Cubatão foi reconhecida pela Conferência do Meio Ambiente da ONU, Eco-92, com o símbolo de recuperação ambiental. As medidas de controle, como instalação de filtros nas chaminés da indústrias, diminuíram em cerca de 90% as emissões de poluentes na região, e consequentemente os números de pessoas com doenças respiratórias e de bebês comprometidos também caiu drasticamente.


Dados da Organização Mundial de Saúde de 2014 retiraram a cidade de Cubatão como a mais poluída do mundo, e também do Brasil, entretanto, estudos das agências da ONU reforçam que o perigo não está totalmente eliminado e precisa de supervisão constante para que as cenas que ocorreram em 1977 não voltem a se repetir.