• Gabriela Bittencourt

Previsão do tempo para a primeira quinzena de Agosto/2022

A primeira quinzena de Agosto deve ser marcada pelo frio no Sul do Brasil e muito calor no Centro-Oeste. As chuvas devem seguir concentradas nos extremos do país entre Norte e Nordeste e no Sul do país. Confira as atualizações para essa próxima quinzena.


previsão de chuva em agosto
Previsão do modelo GFS (0.25º) para o acumulado total de chuva na primeira quinzena do mês de agosto de 2022. Modelo iniciado em 30/07/2022 0000 UTC.

O mês de Julho foi marcado por temperaturas acima da média em praticamente todo o país, principalmente na região Sul do Brasil, onde as máximas chegaram a 30ºC em alguns pontos. A atuação de um bloqueio atmosférico durante o último mês inibiu o avanço de sistemas frontais no Centro-Oeste e Sudeste, sendo o mês de Julho mais quente da série histórica de dados do INMET desde 1943 para a cidade de São Paulo (SP).


O bloqueio também influenciou no início da temporada de seca e das queimadas nessa parte do país. As temperaturas chegaram aos 40ºC em cidades do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.



Após esses dias consecutivos de tempo seco e quente, uma frente fria conseguiu quebrar o bloqueio atmosférico e avançou pelo centro-sul do Brasil na última quinta-feira (28) com o predomínio de chuva em todo o Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.


Imagem de satélite
Imagem de satélite com o canal do infravermelho termal para a tarde do dia 28/07/2022 após a passagem da frente fria pelo RS. Fonte: Windy.

A passagem dessa nova frente fria trouxe de volta ao centro-sul do Brasil o ar frio típico do inverno, com baixas temperaturas pelo avanço de uma intensa massa de ar polar. A ocorrência de geada não é descartada principalmente em cidades do Rio Grande do Sul como a campanha, centro e na serra gaúcha durante o próximo fim de semana. As mínimas também irão diminuir consideravelmente em São Paulo, interior de Minas Gerais e de Mato Grosso do Sul entre variando de 8ºC a 10ºC.



La Niña, Oscilação Antártica e Oscilação Madden-Julian, como ficam nessa próxima quinzena?


O fenômeno La Niña segue com a TSM sobre o Pacífico Equatorial, mais fria em relação à média. De acordo com as previsões dos modelos estatísticos (IRI/CPC) o fenômeno apresenta que cerca de 52% de chance da La Niña seguir influenciando o regime de chuvas durante o próximo trimestre (Julho-Agosto-Setembro).


Teleconexões
Modelos de previsão para a segunda quinzena de Julho. OMJ, anomalia sazonal da TSM (La Niña) e previsão AAO.

A Oscilação Antártica deve seguir na fase negativa da sua oscilação pelos primeiros 10 dias dessa primeira quinzena de Agosto. Essa fase negativa auxilia no avanço de sistemas frontais sobre a América do Sul, além de uma maior incursão de massas de ar polar. Os modelos mostram também que a partir do dia 11 de Agosto há uma probabilidade da AAO seguir para uma fase positiva com a inibição do avanço de sistemas frontais e de sobre o Sul do Brasil, principalmente.


Com relação a OMJ, os modelos indicam que ela dever atuar na sua fase de neutralidades na próxima quinzena, não sendo uma influência que determine o regime de chuvas no Brasil.



Como ficam as chuvas no Brasil na próxima quinzena?


A próxima quinzena deve seguir um padrão semelhante a última quinzena de Julho/2022. Com a La Niña ativa e AAO na sua fase negativa as chuvas seguem sendo mais expressivas nos extremos do Brasil, região Sul, Norte e Nordeste.



Região Centro-Oeste vai seguir seca e quente durante os próximos dias, diferente da região Sul, Norte e Nordeste que devem ter grandes acumulados durante os próximos dias.