• Raquel Pereira

Quais as causas e consequências das queimadas?

Essa época do ano é marcada pelas queimadas. Os danos causados pelas queimadas causam prejuízos a fauna e a flora, favorecem a poluição atmosférica, dentre outros.

Animais sofrendo com as queimadas no Pantanal em 2020. Fonte: João Paulo Guimarães/Repórter Brasil

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Brasil ocupa a quinta posição entre os países mais poluidores do mundo, registrando aproximadamente 300.000 focos de calor anualmente. Esses focos são responsáveis pela destruição de aproximadamente 15 mil km2 por ano de florestas naturais. As origens das queimadas estão associadas tanto a fatores naturais, como relâmpagos e longos períodos de seca, quanto a ação humana (preparação do terreno para pastagens e agricultura, desflorestamento e ignição acidental). No Brasil, a maioria das ocorrências de queimadas tem origem antrópica, como as citadas anteriormente.

Queimadas naturais são aquelas causadas por raios, logo inexistentes nos períodos de estiagem prolongada e intensa, que é quando mais se queima no País. Elas são mais comuns no bioma Cerrado, que é adaptado ao fogo, e ocorrem em geral no final e início da estação chuvosa, afetando as mesmas áreas a cada oito a dez anos. Durante o ano de 2021, o bioma Amazônia tem sido o mais atingido pelas queimadas.


Focos por bioma para o ano de 2021. Fonte: INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, 2021. Portal do Monitoramento de Queimadas e Incêndios. Disponível em http://queimadas.dgi.inpe.br/queimadas.

A fuligem e os gases liberados durante as queimadas podem provocar doenças respiratórias como asma, bronquite crônica e infecções respiratórias agudas, especialmente em crianças e idosos, vistos como grupo de risco por estarem mais sujeitos a estes tipos de doenças. No contexto local, as queimadas destroem a fauna e flora, e em muitos casos causam mortes e perda de propriedades.

No âmbito regional, causam poluição atmosférica com prejuízos à saúde de milhões de pessoas e à aviação e transportes. E do ponto de vista global, as queimadas são associadas com modificações da composição química da atmosfera, e mesmo do clima do planeta; neste último contexto, as maiores contribuições do Brasil provêm das queimadas.

A detecção de incêndios através do sensoriamento remoto é a forma mais viável para o Brasil, devido a magnitude e a diversidade das características dos ecossistemas florestais. Os satélites meteorológicos são ferramentas importantes e essenciais para a detecção e monitoramento de queimadas sobre extensas regiões. Um satélite meteorológico é um tipo de satélite artificial usado para monitorar o tempo e clima da terra.

Segundo os dados de focos de queimadas detectados para o Brasil pelo INPE, setembro ainda não acabou e 4 estados e o distrito federal já ultrapassaram a média histórica. O INPE contabiliza os dados de fogo desde 1998. A causa é predominantemente humana, porém com uma amplificação direta devido à seca. A falta de água colabora para o espalhamento do fogo.