• Tempo e Clima Brasil

Simulações sugerem que o oxigênio da Terra durará apenas mais um bilhão de anos

Os pesquisadores do estudo afirmam que é inevitável que o homem precise sair do planeta terra algum dia para que a raça humana continue.

Dois pesquisadores da Toho University e da NASA Nexus for Exoplanet System Science encontraram evidências, por meio de simulação, de que a Terra perderá sua atmosfera rica em oxigênio em aproximadamente 1 bilhão de anos. Em seu artigo publicado na revista Nature Geoscience, Kazumi Ozaki e Christopher Reinhard descrevem os fatores que entraram em sua simulação e o que ela mostrou.

Todos os cientistas concordam que a vida não pode durar para sempre no planeta Terra - eventualmente, o sol ficará sem energia e se destruirá. As formas de vida provavelmente acharão cada vez mais difícil sobreviver antes disso, à medida que o sol fica mais quente. Nesse novo esforço, os pesquisadores buscaram encontrar o ponto de inflexão para a vida - quando o planeta não será mais capaz de sustentar a maioria das plantas e animais.


Para encontrar esse ponto de inflexão, os pesquisadores criaram uma simulação da Terra que considerou variáveis ​​que descreviam o clima, bem como os processos geológicos e biológicos e, o mais importante, a atividade do sol. Os pesquisadores então rodaram sua simulação para ver como a Terra se sairia em um futuro distante.

A simulação mostrou que à medida que o sol fica mais quente, daqui a 1 bilhão de anos, liberando mais energia, os níveis de dióxido de carbono na atmosfera da Terra começam a cair devido ao gás absorvendo o calor e se decompondo. A camada de ozônio também seria queimada. Então, à medida que os níveis de dióxido de carbono caem, a vida das plantas começa a sofrer, resultando na redução da produção de oxigênio.


Em um período de apenas 10.000 anos, os níveis de CO2 cairão tanto que a vida das plantas será extinta. Sem a vida vegetal, as criaturas que vivem em terra e no mar logo estariam extintas, também, devido à falta de uma atmosfera respirável.

Enquanto isso, a simulação também mostrou níveis crescentes de metano entrando na atmosfera, acelerando a morte de criaturas que precisam de oxigênio para respirar.

O resultado, de acordo com a simulação, seria um planeta sem vida, exceto por minúsculas criaturas anaeróbicas como as bactérias - condições muito semelhantes às da Terra antes da evolução das plantas e animais.


Veja também: "Mudanças climáticas irão alterar a posição da ZCIT"


Os pesquisadores sugerem que sua simulação pode ser útil para aqueles que procuram vida em outros planetas - a janela de oportunidade, eles observam, pode ser mais curta do que se pensava anteriormente.