• Davi Moura

Terceira tempestade de poeira ocorre em menos de 10 dias

Pela terceira vez em menos de 10 dias, nova tempestade de poeira atingiu cidades no interior de São Paulo e Minas Gerais na tarde de ontem, domingo, 03 de outubro.

Tempestade de poeira em são paulo
Imagem da cidade de Catanduva - SP. Créditos: Ache Notícias Catanduva & Região.

A ocorrência de tempestades de poeira, também conhecidas como Habub ou Haboob, são relativamente frequentes em países com clima de deserto de areia. No Brasil, geralmente este fenômeno ocorre de maneira isolada em zonas rurais em períodos de tempo seco. Porém, nos últimos dez dias, o fenômeno se repetiu por pelo menos três dias em dezenas de cidades no Centro-Oeste, Sudeste e Nordeste do Brasil.

Na tarde do último domingo (03), a nuvem de poeira novamente se espalhou por várias cidades do interior de São Paulo e Minas Gerias. Em Catanduva (SP), o fenômeno começou por volta das 15h deixando o céu amarronzado e escuro. Além da poeira, muita ventania, trovoadas e chuva foram registrados.



Araraquara (SP), Ibaté (SP) e São Carlos (SP), também registraram o fenômeno que durou cerca de uma hora e cessou com a chegada das primeiras gotas de chuva.


tempestade de poeira
Rodovia Washington Luís no trecho entre Araraquara e Ibaté. Créditos: @renatofz

Em Jaboticabal (SP), um grupo registrou o momento que o fenômeno chegava na área rural da região. Além da poeira e do tempo escuro, motoristas relataram problemas para dirigir com a palha seca que se espalhava pelo local.


Em Itápolis (SP), uma competição promovida pelo aeroclube da cidade foi surpreendida pela nuvem de poeira.



É importante ressaltar que inalar a poeira é prejudicial para a saúde humana. O uso de mascara de proteção é essencial mesmo dentro de casa durante o fenômeno. Em caso de chiado no peito, falta de ar e tosse é importante consultar um médico.


A causa do evento é relativamente simples: tempestades avançam em áreas com solo seco e exposto; as rajadas de vento dos temporais, também conhecidos como frente de rajada, empurram o material particulado que avançam como uma grande nuvem de poeira. Contudo, se o fenômeno não é frequente no Brasil, por que está ocorrendo tanto? e por que o solo tem estado seco e exposto?


Seca, queimadas, falta de florestas


A porção central do Brasil tem sofrido com secas severas nos últimos meses devido a uma cadeia de fatores climáticos, incluindo a ocorrência do fenômeno La Niña que tende a provocar uma diminuição nas chuvas no centro-sul do país. A La Niña se iniciou em meados de 2020 e durou até o início de 2021. O fenômeno deve retornar ainda este ano e permanecer ativo até início de 2022.

Além da La Niña, outro fator crítico é a redução contínua da área da Floresta Amazônica que fornece a umidade para as chuvas em grande parte da porção central do país. Esse cenário de falta de chuvas e falta de umidade tem se somado com a ocorrência das queimadas em vários estados do Sudeste, Centro-oeste e Nordeste. As queimadas são provocadas de forma natural (devido ao tempo seco) ou por ação humana (sendo criminosa ou não).


Você pode se interessar por: "A Primavera de 2021 e a influência da La Niña".


Com isso, o solo se tornou seco e exposto. A chegada da primavera marca o início das chuvas nessas regiões e os fortes ventos dos temporais estão varrendo a poeira literalmente.