• Davi Moura

Terremoto no Paquistão mata 20 na província de Baluchistão

Tremores de magnitudes 5,7 e 4,6 foram registrados perto de Quetta, onde vivem cerca de 1 milhão de pessoas. Mais de 100 casas feitas de barro desabaram.


terremoto no paquistão
Homem observa sua casa danificada por terremoto que atingiu a área de Harnai, no Paquistão.

Pelo menos 20 pessoas morreram depois que dois terremotos atingiram a província de Baluchistão, no sul do Paquistão, na manhã de quinta-feira. As autoridades afirmam que o número de mortos pode aumentar e que muitas pessoas morreram enquanto dormiam quando as estruturas desabaram. Muitos dos mortos eram mulheres e crianças.



O Serviço Geológico dos Estados Unidos informou que foi um terremoto de magnitude 5,9 que atingiu a profundidade de 9 km. Tremores superficiais podem causar mais danos. Autoridades locais relataram que pelo menos 150 outras pessoas ficaram feridas, com vários deles levados às pressas para o hospital em estado crítico.



Em seguida, um outro tremor, com epicentro na mesma localidade, foi registrado com magnitude 4,6, mas a 10 km de profundidade: ou seja, ainda mais perto do solo e portanto ainda mais capaz de causar destruição.



Operações de resgate estão em andamento e a mídia local informou que médicos e paramédicos militares chegaram às áreas atingidas pelo terremoto para ajudar nos esforços de socorro.



Várias pessoas gravemente feridas foram evacuadas por ar para a capital da província, Quetta, em helicópteros do exército paquistanês. Algumas pessoas foram tratadas em macas com médicos usando telefones como lanternas. Mais de 100 casas de barro desabaram e um grande número de edifícios foram danificados, deixando centenas de pessoas desabrigadas, disse um oficial à agência.



Via Twitter, o primeiro-ministro Imran Khan disse: "Ordenei assistência imediata em caráter de emergência para as vítimas do terremoto de Harnai, Baluchistão e para uma avaliação imediata dos danos para alívio e compensação em tempo hábil."

A área mais atingida foi a remota cidade montanhosa de Harnai, onde a falta de estradas pavimentadas, eletricidade e cobertura móvel dificultam o resgate. Os terremotos também provocaram apagões que também obrigaram as equipes de resgate a usar lanternas para tratar feridos.