• Raquel Pereira

Um forte terremoto de magnitude 7,3 atingiu o Japão e gerou um alerta de tsunami

Um terremoto de magnitude 7,3, com o epicentro próximo a costa de Fukushima atingiu o nordeste do Japão na quarta-feira (16).


Terremoto
O terremoto que atingiu o Japão nesta quarta balançou prédios e causou estragos. Fonte: Jerusalem Post.

O arquipélago japonês está inserido no chamado Círculo do Fogo do Pacífico, um arco de intensa atividade sísmica que engloba parte do Sudeste Asiático e a bacia do Pacífico, onde as placas tectônicas colidem.


Em 2011, um terremoto em Fukushima de magnitude 9,1 provocou uma série de tsunamis e matou mais de 15.000 pessoas e afetou os reatores de usina nuclear da cidade, o que espalhou radiação em toda a região.


Existem alguns sistemas para medir a magnitude de um terremoto. Por exemplo, a Escala Richter é uma escala logarítmica utilizada para quantificar a intensidade dos terremotos conforme a sua manifestação na superfície terrestre. Em sua escala pode-se considerar que os abalos sísmicos acima de 6 podem ser considerados graves.


--- Continua após a publicidade ----

----


Além da Escala Richter, existe a Escala de Mercalli, criada para medir os efeitos dos terremotos de acordo com seus impactos na sociedade e nas estruturas humanas. Há também a Escala Mw, parecida com a de Richter por também ser logarítmica, havendo diferenças no tipo de fórmula matemática utilizada em sua operacionalização.


Na quarta-feira (16), o tremor que ocorreu teve magnitude de 7,3 em escala de intensidade japonesa, que representa que teve força suficiente para impedir que pessoas permanecessem em pé. O epicentro foi na costa da região de Fukushima a uma profundidade de 60 quilômetros.


Nas cidades como Higashimatsushima, a 186 km de Fukushima, onde o tremor foi sentido, foi orientado aos moradores das áreas costeiras a deixarem suas casas e ir para abrigos organizados pelas autoridades, já que há uma probabilidade de ondas gigantes atingirem essas regiões. Miyagi e Fukushima, foram os locais onde o tremor foi mais sentido.



Funcionários do prédio administrativo da prefeitura de Miyagi contaram que estantes quebraram e computadores foram totalmente destruídos pela movimentação abrupta. No entanto, em outras regiões em que o abalo também foi sentido, como na cidade de Tome, os objetos e móveis não se mexeram, apesar do susto.


Hirokazu Matsuno, secretário-geral do governo do Japão, disse: "Por favor, sejam cuidadosos e não se aproximem da costa", declarou a autoridade.

Os tremores provocaram alertas de tsunami na região. As autoridades emitiram um alerta de tsunami de até 1 metro de altura.



A Companhia de Energia Elétrica de Tóquio informou que aproximadamente 2 milhões de pessoas estão sem luz no país devido ao tremor de quarta. Somente na capital, Tóquio, são 700 mil. A empresa disse que já foi iniciado uma checagem nos reatores nucleares da usina de Fukushima, que geram energia elétrica.